quinta-feira, 7 de maio de 2009

LEI


O que é preciso é entender a solidão!
O que é preciso é aceitar, mesmo, a onda amarga
que leva os mortos.

O que é preciso é esperar pela estrela
que ainda não está completa.

O que é preciso é que os olhos sejam cristal sem névoa,
e os lábios de ouro puro.

O que é preciso é que a alma vá e venha;
e ouça a notícia do tempo,
e entre os assombros da vida e da morte,
estenda suas diáfanas asas, isenta por igual.
de desejo e de desespero.


Cecília Meireles

4 comentários:

  1. Ai, a Série Meireles!!!

    Quantas saudades desse tempo dos Gatos Fedorentos.

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Que piadinha...
    Tem tanta graça que até embaça!

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. O que é preciso é aceitar a ida...
    Beijinho terno!

    ResponderEliminar